Quando o estado de exceção se torna permanente: reflexões sobre a militarização da segurança pública no Brasil