Mais do que um simples apertar de botão: afetos e espectatorialidade na publicidade pervasiva