APLICABILIDADE CLÍNICA DOS IMPLANTES DE PEQUENO DIÂMETRO ? UMA REVISÃO