"Você me prende vivo, eu escapo morto": a comemoração da morte de estudantes na resistência contra o regime militar