Uma avaliação empírica do grau de flexibilidade alocativa do mercado de trabalho brasileiro