Um livro e seus usos: Camões, Saramago e a escrita do Império