"Tudo que é imaginário tem, existe, é": delirando uma vida nos ambulatórios de saúde mental