Re-lendo Luria: os limites de uma perspectiva