A razão entre a violência e a emancipação: um enfoque habermasiano