A ONU e o espetáculo da guerra justa