O emprego não acabou: retórica?