O caráter civilizatório das práticas higienistas no século XIX