O ACOLHIMENTO DE FAMILIARES NO SERVIÇO DE EMERGÊNCIA: CONTRIBUIÇÕES A PARTIR DA POLÍTICA NACIONAL DE HUMANIZAÇÃO