Memória e singularidade no gesto do escritor-lexicógrafo