A letra vazia do século XIX: os cursos jurídicos e a aventura política do bacharel