A direção do olhar: "Pode um desejo intenso", ode VI de Luís de Camões