A dessubjetivação do trabalho: o homem como objeto da tecnologia