Considerações sobre alguns modelos propostos ao planejamento da cidade enquanto subjetividade da cidade ideal