Cidades excêntricas ou novas periferias?