A análise da correlação funcional/digoxinemia poderá ser útil na avaliação da resposta ao tratamento da insuficiência congestiva